Vicente - Capitulo 1 - Pt.1

quinta-feira, agosto 26, 2010 / Postado por And_Rodrigues /

Comecei a postar essa história a duas semanas, para não se tornar maçante, continuarei fazendo isso, espero que gostem.

Eu cometi um equivoco no primeiro post dessa história por isso providenciei uma errata


Errata

Na primeira postagem pareceu muito claro que a personagem de Vicente tem como paixão a escrita, logo o primeiro pensamento que vem, é que ele abriu mão de escrever, de tentar ser um escritor, isso foi um descuido meu, na primeira vez que escrevi essa era a intenção, na hora de postar acabei não corrigindo, por isso esta errata, não mudarei a postagem só gostaria de esclarecer que a paixão dele no caso é a música, e se ele esta escrevendo algo, são partituras e compondo.

Peço desculpas pela minha falta de atenção.





No dia seguinte Vicente acordará tranqüilo, como todos os dias, tomou um gole de café preto, desceu pelo elevador, como não morava longe do escritório onde trabalhava foi andando, o que lhe permitia um passeio de uns 15 minutos pela cidade movimentada logo cedo, antes de chegar no furacão que era o prédio onde se localizava seu escritório.

Por fora uma construção grande e imponente da metade do século passado, que dava um certa sensação de nostalgia, passando pela porta giratória, que já lhe alçava o moderno com seu acabamento preto, e vidros reluzentes, onde era possível enxergar a si mesmo, acabava toda a atmosfera de antigo, tudo em mármore que parecia refletir todos que ali caminhavam, o que indicava a grande corporação que ali tinha sua matriz; Passando pelo balcão da segurança ouviu um simpático:

-Bom dia Sr.Vicente
-Bom dia Augusto, como foi o jogo do Roberto no fim de semana ?
-Oh! É uma alegria pra mim ver meu menino jogar senhor, ele foi bem, e ainda quase fez gol, falou emocionado, coisa de pai coruja.
-Ótimo! Espero que continue assim, ele é um bom menino.

A conversa não se prolongou nem por dois minutos, e Vicente seguiu para o elevador, que inevitavelmente nesse horário ia apinhado de gente, aperto o botão com o número 14, e no caminho deu uma olhada no seu palm-top, que vibrava dentro do paletó com duas mensagens da sua secretária. A primeira dizia “- Reunião remarcada para hoje, relatórios em cima da minha mesa,tudo ok”, a segunda dizia :”-Quanto ao horário da reunião, estou rezando para que o senhor esteja nesse prédio”.


Após quase duas horas de reunião, estampado na face de Vicente, estava uma mistura de satisfação e extremo cansaço, se dirigiu a sua sala, onde ficou por volta de meia-hora e se despediu de Ana, sua secretária.

Saiu tão atordoado do escritório que nem se dera conta da chuva que caia lá fora, só a percebeu quando foi atravessar a rua, que o fez correr para evitar molhar-se mais, ao atravessar a chuva apertou, fazendo com que procura-se abrigo debaixo de um toldo, ficou de frente para rua e costas para vitrine, estava ali única e exclusivamente para se proteger da chuva. Depois de alguns instantes parado olhando para os lados, e vez ou outra para o céu, como quem pudesse ver quando a chuva ia parar de cair, ele se virou para loja, franziu a testa, cerrando um pouco os olhos, entortou um pouco o pescoço tombando-o para o lado esquerdo, e uma coisa lhe passou pela cabeça,:”cinco, seis anos juntos...talvez seja a hora”, e continuo a admirar a infinidade de alianças que ali se ofereciam para ele.

Vicente não pensou muito para entrar na loja, demorou sim lá dentro, nada poderia fugir do gosto de Julia, na verdade, essa era a desculpa, mas ali diante de tantas opções, ele nem imaginava qual delas Julia gostaria mais, no meio desse processo de escolha, ele ligou para sua secretária, e disse que ela estava de folga o resto da semana, isso numa quarta feira na hora do almoço, era um sonho, ele só pediu um ultimo favor antes da folga de meio de semana, “duas passagens para Gramado , chalé reservado, e deixar avisado para qualquer um que o procura-se, inclusive deixar na secretária eletrônica que ele estava morto, pelo menos até segunda”, ela sorriu e disse que antes mesmo do fim da tarde tudo estaria pronto, e as passagens estariam na portaria do prédio, com uma ordem expressa de só ser entregue ao Sr.Medeiros.
Depois de quase uma hora dentro da joalheria, escolheu a solitária, e disse o tamanho do dedo de Julia, deixou avisado que no dia seguinte voltaria para buscar a aliança.

Foi embora feliz, e nem se abalou com a chuva que continuava caindo, despenteado seus cabelos impecáveis ajeitados para trás, ligou para Julia e disse:”- Tem algo para fazer amanhã?” ..., espero um pouco a resposta, e voltou a falar:”-Não marque nada então, amanhã não irei para o escritório”.





^AR^

Marcadores:

3 comentários:

Comment by Vanessa on 27 de agosto de 2010 20:57

rsrsr eu achei que ele queria ser um escritor!!

mto boa a historia!!!!

qro maissss!!!

adoro o Vicente!!!

bjus

Comment by Keli on 28 de agosto de 2010 16:28

Tá esquentando, tá esquentando, tá ficando muito bom, estou esperando o próximo passo do casal. Crie uma personagem tipo eu pra ser a madrinha deles...aliás, como vc já tem um público cativo, seria bem legal se vc nos envolvesse na trama, e vc tb, aí nós teríamos a obrigação de conferir e acompanhar religiosamente essa história. Um beijim. Até a próxima.

Comment by Kimura on 31 de agosto de 2010 11:17

Show de bola brother. Meus parabéns.
Demorou um pouco, mas parece que esse romance tá caminhando. rsrs.

É isso ai MLK,aquele abç de amigo e fã.
é noix!

Kimura.

Postar um comentário