Doce como Mel...

segunda-feira, fevereiro 28, 2011 / Postado por And_Rodrigues /

Olá Boa tarde. Vicente ficou um bom tempo no ar, a história ainda tem muito o que desenrolar. Mas hoje postarei um texto que fiz em parceria com uma guria que é um amor, apesar da pouca idade tenho certeza que logo estará arrasando com o que escreve. Pra mim foi um prazer escrever esse texto, espero que gostem.

Gostaria de dar os parabéns também para ela, já que ficou um pouco mais experiente ( para não dizer mais velha, rsrsr) no fim da semana passada. Beijos Melanie.




Doce como Mel...



Mel costuma andar distraída pelas ruas da sua cidade, com seu mp3 no ouvido, sendo embalada pelo som rítmico de kesha, quando estava assim, não costuma repetir o caminho que a levava para os lugares, e hoje não fora diferente. Andou até não saber mais onde exatamente estava. O clima da tarde gostosa, meio que nublado, no final da tarde, deu ares de tempestade. Mel envolvida pelo “tik-tok” nos seus ouvidos nada disso percebeu; quando se deu conta o céu estava escuro, e o que a pouco era uma suave brisa refrescante começava a se tornar um vento forte. A única coisa que lhe veio à cabeça foi: “-Onde diabos estou?”

Não demorou muito percebeu que estava indo para o lado contrario que ficava sua casa. Olhou de um lado para o outro, e não via ninguém na rua, não lhe restava outra escolha a não ser voltar a andar, mas agora para o lado certo. E foi o que fez caminhando por uma rua que mais parecia abandonada por Deus, passou por uma viela, e através dela, viu uma rua movimentada, com inúmeros carros, pessoas e ônibus passando. Mediu com os olhos e calculou que aquele corredor escuro deveria ter uns 20 metros, e pensou: “-Melhor do que andar até não sei quando, por essa rua de ninguém”. Não pensou muito e se enfiou beco adentro, lá percebeu como o lugar era escuro, e tinha um cheiro estranho, forte, andou um pouco e constatou que tinha muito mais que apenas 20 metros a viela.

Olhou para trás e a rua abandonada, parecia ainda mais perdida em lugar algum, virou o rosto para frente, e logo ouviu um barulho a suas costas, olhou novamente para trás e viu o que parecia ser o semblante de uma pessoa se mexendo no escuro, o medo começou a subir por todo o seu corpo, e Mel apertou o passo, quando se voltou para frente deu seu rosto de encontro a um peito. Seu coração parecia que saltaria pela boca, deu dois passos para trás, levantou a cabeça para ver um lindo sorriso que a encarava, os olhos azuis faiscavam naquela escuridão, agora Mel era um misto de encanto e apavoro. A estatua perfeita de um deus, parado a sua frente, sorrindo maravilhosamente para ela, mas naquele lugar horrível. Nada fazia com que sua mente se tranqüilizasse naquele momento.

Ele estendeu a mão para retirar os cabelos que lhe caiam pela face, Mel congelou e derreteu ao simples toque de seda daquela mão.

Ela estremeceu e o estranho sorriu.
Mostrando um sorriso sedutor e amedrontador, havia algo diferente no sorriso que estampava aquela perfeita boca.

Mel ofegou e deu mais dois passos para trás.

- Não fuja querida, não irei te machucar. – ele sorriu mais amplamente e seus olhos azuis faiscaram maliciosamente.

O estranho passava levemente a língua pelo que parecia ser dentes pontiagudos, os caninos daquele estranho eram mais evidentes do que o normal, enquanto isso ele se aproximava.
Seus braços longos e musculosos circularam a pequena cintura de Mel, e a puxaram mais para perto de seu corpo. Ela parecia hipnotizada pelos olhos azuis dele, não conseguia fazer nada a não ser se aconchegar em seus braços.


Quando seus lábios tocaram a maça do rosto de Mel, um arrepio gostoso desceu por sua espinha, enquanto suas mãos acariciavam-lhe as costas, e os quadris se moldavam como duas peças perfeitas.
Ela soltou um leve suspiro enquanto ele beijava seu pescoço e sentia seu batimento cardíaco aumentando.

- Não tente resistir. Você já é minha!

Dizendo isso. O estranho tocou suavemente os lábios de Mel, ela sem conseguir lutar contra a ânsia daquele beijo, mergulhou no momento, e perdida no beijo maravilhoso daquele estranho de sorriso inebriante mordeu os lábios inferiores dele.

Ele por sua vez, afastou um pouco o rosto tornou a sorrir maliciosamente para Mel e disse: “-Você esta pegando o espírito da coisa”
As mãos do estranho desceram até a cintura de Mel, deslizou pelos quadris da jovem e com as mãos cheias do corpo da própria jovem, puxou o corpo dela para mais perto de si. Apesar da vontade com que executou o movimento, seu rosto não apresentava nenhuma pressa.

Tornou a beijá-la, logo abandonou a sua boca, correu seus lábios pelo pescoço da jovem, onde se demorou alguns poucos segundos, onde ela pode sentir o seu peito inflar, e por aquele instante o sentiu ofegante. Continuou descendo seus lábios até os seios pequenos, empinados e duros de Mel, beijou carinhosamente os dois seios, mordicou os mamilos e no seio esquerdo deixou uma leve marca dos seus caninos, um leve filete de sangue escorreu, e o estranho olhando fixamente para os olhos de Mel, passou a língua pelo sangue. Depois ainda a encarando lambeu os próprios lábios.


Mel estava totalmente tomada pela sensação quente que corria pelo seu corpo, e fazia sua cabeça girar, não havia como descrever aquele abuso, aquele maravilhoso abuso. Seu corpo estava quente e mole, sentia que não havia nada melhor que aquilo, quando ainda olhando fixamente olhando para os olhos azuis do estranho, seu sorriso perfeito e seus caninos incomuns, sentiu entre suas pernas algo, seu corpo quase desabou, mas logo em seguida subiu pela sua espinha uma febre, logo veio a garganta uma vontade de gritar. O estranho introduzirá no sexo de Mel, seus dedos, a jovem se perdia cada vez mais aos carinhos do dono daqueles olhos azuis. Ela se apoiou nos seus ombros, correu a mão pelos seus peitos bem torneados, era perfeito demais aquele homem, aquela sensação, ele brincava com os dedos, enquanto Mel perdida no momento, começou a beijar o peito de mármore que o estranho tinha, o frescor da sua pele tornava a coisa ainda mais excitante, enquanto ela estava preste a explodir ele estava intacto a ela.

Pela primeira vez desde que pos os olhos em Mel, o estranho sentia que ela não estava presa a ele. Conforme beijava o peito dele, a vontade de ter-lo a tomava, sua boca correu dos peitos, para seu abdômen, continuo descendo com apetite, desabotôo sua calça, e sem pensar no que estava fazendo, tomada por puro impulso e desejo engoliu o sexo do estranho que só levou suas mãos ao rosto de Mel, enquanto ela se deliciava daquele homem de alguma forma dentro de si. Agora pelo menos sentia o pulsar com as suas investidas. Isso a excitou ainda mais, e a tornou ainda mais faminta. A sensação através do seu corpo só aumentava, quando sentiu um tranco no seu corpo e antes que percebesse estava de pé diante do estranho, ainda sorrindo impecavelmente. Ele chegou mais perto, encostando-se à jovem, que podia sentir a volúpia que ela mesma produzirá. Ele fungou sentindo seu cheiro, e disse:

-Realmente és uma delicia. Qual seu nome minha jovem?

Ela só conseguiu gemer.
- Me... Mel

- Nome perfeito para ti honey. E continuava sorrindo

Deitou a cabeça de Mel de lado, deu um leve beijo no seu pescoço, de repente, uma sensação de frio percorreu seu corpo por alguns breves segundos e tornou a esquentar. Agora a febre parecia que iria levá-la ao chão. Mel sentia sua vida se esvaindo ao mesmo tempo em que era tomada por um prazer sodomita. Não passou muito tempo, na verdade, naquele momento ela perdeu toda noção de tempo, seu corpo não pertencia mais a ela, e os caninos passaram a fazer sentido.

O cheiro de sangue invadia as narinas de Mel, mas ela nem percebia que estava sendo drenada, pois o prazer daquela mordida á deixou inebriada.
Imagens eróticas invadiam sua mente, e o estranho estava em todas elas, uma sensação de luxúria se apoderou dela.





^AR^ e Melanie


.

10 comentários:

Comment by De. Mazzuchetti on 28 de fevereiro de 2011 10:10

Eu não ia comentar, maaas não consegui! rsrs
Isso parece o trecho de um livro, daqueles que 'a gente' começa ler e não para até terminar!
Alias... Vai ter mais???!
Eu gostei!
Beijosss.

Comment by Keka on 28 de fevereiro de 2011 15:50

Bem adorei e concordo com a Deise, da vontade de ler mais! Parabéns And e Mell está ótimo!

Bjkas

Kelli

Comment by Vanessa on 28 de fevereiro de 2011 19:19

Opa concordo e gênero, numero e grau com as duas!!

Vamos ver o que mais tem por vim!!!

Se o primeiro capitulo esta assim, o que sera que vem por ai??

And cada vez me surpreendo mais!!

beijos

Comment by And_Rodrigues on 28 de fevereiro de 2011 19:38

Olá Amor, Kelli, Nessa. Obrigado pelos elogios e agradeço por vcs mentirem tão bem, rsrsr. Espero que os post continuem tendo essa aceitação.

Amor beijos.

Ah uma observação esquecida, a revisão do texto foi feita pela senhorita Vanessa Manoel, atrasada, porém competente.

^AR^

Comment by Vanessa on 28 de fevereiro de 2011 19:41

Agora você lembrar que foi eu que fiz a revisão!!

antes tarde do que nunca né??

Beijos

Comment by Maria Luiza on 28 de fevereiro de 2011 20:57

Oi, passei por aqui e adorei o conto, como todas perguntaram tem mais?

Beijos

Ma

Comment by De. Mazzuchetti on 1 de março de 2011 10:41

Aaaah!
Por isso então! Eu tinha percebido que a revisão ficou perfeita! Minha amiga é top!
rsrs

Amor,
beijos.

Comment by Mel Ann on 4 de março de 2011 16:11

brigada gente !
espero que tenham realmente gostado do conto que o And e eu fizemos.
um grande beijo
Mel

Comment by Paloma on 4 de março de 2011 16:18

Olá Anderson!

Conto intenso e sedutor, que deixa com vontade de quero mais, ainda mais hoje nesse frio!

Bjs

Paloma

Comment by And_Rodrigues on 6 de março de 2011 05:08

Olá Malu, Cachos dourados. Agradeço por estarem acompanhando o blog, e por terem gostado do post mais "intenso".

sobre as perguntas se terá continuação, já há conversas com a Mel para que tenha uma continuação pelo menos na pareceria para contos semelhantes.

Beijos cachos dourados

Postar um comentário